Follow by Email

sábado, janeiro 22

Em cidade de forró, blues é luxo hermético


Acho que estou me especializando em assistir bons shows com fracasso de público. Há algum tempo foi o de Roberta Campos, e ontem foi o da Blues Label, no Amicis, com direito a participação do guitarrista Artur Menezes. Quase totalmente vazio. Contando com os garçons e os músicos, havia perto 60 pessoas. Um espaço apertado parecer gigante é muito estranho.

Os caras arrebentaram. Foi de James Brown a Toni Tornado, passando por Stevie Wonder e Tim Maia, sem perder o gás, apesar da platéia vazia. Eu mesmo quase que não vou, por conta da chuva que banhou a cidade. Ainda bem que me mative fiel ao convite do meu amigo Robério Lessa, que apresenta o programa Abluesando, na FM Assembleia. Aqui meio que chover é desculpa para não sair de casa, o que não deixa de ser ridículo.

Ontem também tive oportunidade de acompanhar o festival do Banco do Nordeste Rock Cordel. Fui platéia da banda Shade Purple, cover do Deep Purple. Os meninos arrebentam. Me senti meio alien, no meio daquela garotada de preto, mas esses ritmos continuam sendo a minha praia. Também não tinha muita gente. E o mais estranho de tudo é a galera se comportando sentada em cadeiras ouvindo hits como Smoke on the Water, Hush, Burn e Highway Star. Coisas da modernidade domesticar roqueiros. O festival segue até a próxima semana. Se tiver agenda, acho que passo por lá de novo.

Por falar em blues, estou ouvindo a gravação da carioca Taryn Szpilman, durante o festival Canoa Blues do ano passado. Ela canta mega bem. Mas é muito chata falando.

Um comentário:

Raquel Cavalcante disse...

Pára tudo! Adoro Deep Purple. Eu tive um namorado que dizia que se apaixonou quando chegou na minha casa e eu tava usando uma blusa da banda e minha mãe ainda falou que ele só namorava comigo se gostasse do Deep Purple. Mas o que eu iria certeza era para o show do Blues Label. Eu ia apara todos os shows da Casa do Blues, aqui pertinho da minha casa e ainda conheço o Artur desde a época de colégio. Pena que o projeto acabou e no sábado eu tava em Quixadá. Agora só uma próxima...