Follow by Email

sexta-feira, setembro 24

Cada qual no seu quadrado


Um certo pastor evangélico procura influenciar seus seguidores e posta no Youtube um video pedindo que não votem nos candidatos do Partido dos Trabalhadores porque, num claro oportunismo eleitoreiro próprio das instituições religiosas, diz ver nessa sigla intenções advindas das profundas do inferno. Em um cuto espaço de tempo, a peça propagandística é assistida por mais de dois milhões de internautas, fora as divulgações do discurso através de outras mídias. Na semana seguinte as pesquisas de opinião demonstram que o cenário eleitoral está inabalado. As repercussões aferidas pelos institutos de consulta popular foram imperceptíveis, beirando a zero.

Jornais O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, O Globo, as redes de TV Globo e Bandeirantes, as revistas Isto É e Veja requentam em um looping interminável notícias as mais estaparfúdias, tentando melar o processo eleitoral para prejudicar Dilma Roussef. Chegam ao ponto de trazer para os dias de hoje, em um malabarismo temporal, denúncias de quebras de sigilo que aconteceram há um ano Ao mesmo tempo, é absoluta e propositalmente esquecida a quebra de sigilo de todos os brasileiros, produzida por uma empresa de da filha de José Serra, em sociedade com a irmã do banqueiro meliante Daniel Dantas . A tentativa de manipulação da opinião mais uma vez não funciona. Pesquisas mostram que Dilma permanece inabalada na liderança da opinião pública.

O presidente Lula diz que é preciso extirpar o partido DEM do cenário político nacional. A imprensa adestrada por tucanos sai rasgando o verbo, afirmando em bom tom que isso seria atentar contra a democracia, claro que o pano de fundo é a busca pelo desgaste de Dilma. Novamente o intento é frustrado. É mais grave, na minha concepção, tentar esconder que o DEM é o antigo PFL que era o antigo PDS, que era a antiga Arena, que foi formado pelos apoiadores e avalisadores do golpe Militar de 1964, como Antonio Carlos Magalhães, Paulo Maluf e toda sorte de conspiradores contrários aos princípios democráticos. Ou seja, na visão desta imprensa nefasta, ser antidemocrático é querer a extirpação da vida política de golpistas, conspiradores, oportunistas, viúvas da ditadura, aliados incondicionais do entreguismo nacional promovido pelo PSDB.

Na minha avaliação, a população brasileira, nestas eleições, está dando um exemplo de maturidade política. Mesmo antes da abertura das urnas, já demonstrou claramente que não é mais, até que me provem o contrário, apenas um joguete nas mãos dos empresários latifundiários da comunicação nacional. O eleitor está se baseando em sua vida pessoal, nas transformações ocorridas em seu próprio meio para adotar a sua decisão. E isso não significará apenas não dar importância às tentativas de mistiticações. Com certeza, terá influências no próprio mercado. Dá gosto de ver exemplares de revistas encalhados em bancas e pontos de venda por conta do descrédito.

Para quem não considerou o assunto enfadonho e árido, recomendo este texto: http://migre.me/1okVI€€

PS. Volto ao teclado mobilzado pela minha comentarista solitária.