Follow by Email

sábado, dezembro 27

Hierofante



Sempre me enrolo em citações literais. Meu cérebro não se preocupa com isso. Admiro pessoas que decoram poesias enormes e declamam a qualquer momento sem gaguejar. Não é o meu caso. Há mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia. É mais ou menos assim que Pook, em Sonhos de uma noite de verão, fala. Se não foi ele, deve ter sido algum outro personagem de Shakespeare. Até falam que este autor inglês na realidade nunca existiu, mas aí já é outra história.


Somos feito da mesma matéria de que são feitos os nossos sonhos. Não sei que compreensão alguém possa ter deste termo. Eu só tenho a minha. Estamos constantemente interagindo com forças invisíveis. Cada ação geral uma reação em sentido contrário. Uma lei da física mas que envolve também o nosso mundo, digamos, espiritual.

Quando se estuda comunicação a gente percebe que as pessoas são mobilizadas a partir do nível de mensagem ao qual está submetida. Quem comunica melhor vai dominar. Este é o princípio adotado tanto líderes políticos quanto espirituais. Comunicar é poder. O processo permite que se opere em vários estágios. Em vários níveis. A dominação real advém do simbolismo que as coisas adquirem. O que é nação? O que é o inferno? O que é a salvação? O que é a paz?

A conquista da liderança é sempre um jogo de comunicação. Há determinadas técnicas que impingem ao meio social sentimentos que levam a entregar ao domínio do líder o seu próprio destino. Quanto mais eficiente o poder de comunicação, mais facilmente os seguidores serão manobrados. É um processo ao mesmo tempo simples, a quem domina determinada técnicas. E invisível a quem está submetido a este poder.

Dois fatores são essenciais para a manipulação de mentes: prestígio e credibilidade. Quem colocar entre suas propriedades imateriais esses elementos assume a liderança, se quiser. Para isso acontecer, na outra ponta deve existir reconhecimento e fé. Se isso não está presente, só através da força ou das leis, que também são força, se chega à liderança.

O prestígio e a credibilidade fazem da palavra uma lei consuetudinária.Em muitos casos, as palavras podem ser habilmente articuladas, dispensando construções literais. As entrelinhas também são poderosas. Assim com a gestualidade. Princípios tidos e havidos com esotéricos acontecem no cotidiano. Independente do que cada um possa ter como mundo real.

3 comentários:

Fernanda Sousa disse...

"Quanto mais eficiente o poder de comunicação, mais facilmente os seguidores serão manobrados".

isso me lembra uma frase q um amigo meu sempre usa: "se não puder convencer, confunda".

Dobradiço disse...

Acho que o amigo da Fê é o Chacrinha, não? e ressalte-se a fertilidade do Questão Fundamental nesse recesso parlamentar.

Questão Fundamental disse...

Poderia até ser, Daniel, mas ele não já morreu?

=)