Follow by Email

terça-feira, julho 15

Satiagraha ou agarra e solta?


Se alguém consultar o nome da famosa operação da Polícia Federal no Google, que deu a esperança a alguns de que alguma coisa estaria mudando neste país, vai encontrar quase 180.000 mil respostas. De uma hora para outra, a estratégia Satiagraha de Ghandi para derrotar os ingleses se transforma em um dos mais populares verbetes da atualidade. Se nos idos de 1948 serviu para levar a Índia à independência dos britânicos, em terras brasilis vai se transformar em sinônimo da impunidade anabolizada por milhões de dólares.

Lembrei-me de uma história que aconteceu no estacionamento de um shopping. O proprietário de uma camionete importada aguardava um carro deixar uma vaga para ocupá-la. Porém outro motorista, em um carro popular, adiantou-se em tomou a vez, ocupando o espaço vazio, logo que o outro carro deixou a vaga. E ainda ironizou o caso, dizendo ao motorista do importado: “o mundo é dos espertos”.

A camionete só esperou aquele ser inferior deixar o seu popular e enfiou o pára-choques na traseira do antagonista, até deixar o carro em forma de maracujá velho. Jogou o seu cartão de visitas com o número do seguro do carro e disse: “engano seu, o mundo é dos ricos”, e deu de costas.

É isso que diariamente acontece no mundo todo e aqui com mais freqüência, em face dos elementos altamente corruptíveis que habitam as cortes, as casas legislativas, as cadeiras dos executivos. O Brasil todo ouviu que o Supremo Tribunal Federal está nas mãos de Daniel Dantas. E ninguém faz nada porque não quer, por medo, ou pela mais completa e absoluta impotência.

Agora quem corre são os delegados da Polícia Federal, talvez assustados com o poder de fogo de seus investigados. Reúne-se governo e ministros do Supremo e decidem que a ordem agora é ampliar até não poder mais as punições por supostos abusos de autoridade cometidos pelas pela PF e similares. Em outras palavras, “vamos facilitar a vida desse pessoal que vive afundando o país com tanto roubo, mas que de vez em quanto nos paga uma propina”.

3 comentários:

Nina disse...

é... triste e dura realidade... =/

Nina disse...

respondendo do meu blog...

pois é, eu tb procuro sempre me jogar de cabeça nas coisas, e se der errado eu sigo caminhando... na verdade esse post foi pra uma pessoa muito querida.
eu tou sempre por aí, me jogando de cabeça ^^
bjs querido!

Nina disse...

pra melhorar, agora tem essa do banqueiro-exilado-que-diz-que-não-voltou-pq-n-quis, que tá cheirando a pizza de cababresa com bordas de catupiry... ou seja, das boas.