Follow by Email

sábado, dezembro 12

Ana Cañas com o c. na mão



O texto é dela. Ao falar com o reduzido público que foi ontem a praia assistir a um dos melhores shows que Fortaleza já viu. Ana conefessou o seu medo de subir no palco pela primeira vez aqui e, bem informal, proferiu a frase que dá título a este post.

Acho que a animação de quem estava lá, cantando a plenos pulmões suas músicas, compensou o grande vácuo na platéia. Por isso, o sorriso não saiu dos lábios dela, durante quase todo o show. Tive muita dó de quem podia e não estava lá e de quem queria e não pode ir.

A linda Ana Cañas mostrou não sou as suas belas músicas mas também toda a potencialidade de seu vozerão. Como é que tanta musicalidade cabe nela? Também interpretou Metamorfose ambulante, de Raul Seixas, Titãs, Bob Marley e encerrou com um impagável Rock and Roll do Led Zepellin. Diga-se de passagem ,interpretação melhor que a de Robert Plant.

Não teve mais um. Um show chifrim de samba ia acontecer em seguida, o que todos nós achamos um absurdo. Como é que alguém ousa fazer Ana Canãs abandonar o palco e nos deixar órfãos?. O resumo da ópera é que o cantorzinho teve as areias da praia de Iracema como platéia.

Certamente Ana não volta a Fortaleza 0800 tão cedo. Com músicas tema de novela, deve ir para alguma casa de espetáculos que cobram os olhos da cara. E sem o conforto da brisa da praia. Vocês que perderam terão de desembolsar oncinhas para tê-la como nós a tivemos. Em São Paulo, sua terra natal, um show dela custa sessentinha. Confira no link.

A foto foi tirada com um precário celular Nokia que nem sei o prefixo.

Nenhum comentário: