Follow by Email

segunda-feira, setembro 22

Previsíveis milagres


Já ouvi dizer que nos Estados Unidos todos riem em shows de humor para não perder o dinheiro do ingresso. Essa seria a única explicação para ainda existir aquelas apresentações sem graça que volta e meia são exibidas nos canais de tv pagos.


Acho que efeito semelhante acontece no público de teatro daqui. As peças, mesmo sem nenhum brilhantismo são aplaudidas de pé. Diz a convenção das palmas que se levantar para aplaudir de pé só em caso de apresentações magnânimas. Acho que o povo aproveita que já vai ir embora, e se levanta. Só pode ser. Ou então, tem vergonha de parecer menos inteligente se não acompanhar a onda queimando as mãos de tantas palmas.


Pelo menos foi essa a impressão que tive ontem, ao assistir no José de Alencar a peça Pequenos Milagres, do Grupo Galpão, de Minas Gerais. Os atores são bons, a cenografia criativa, limpa e funcional, mas o texto muito fraquinho. E teatro sem texto eficiente não haverá como me conquistar. Por mais bem apresentada que sejam as interpretações.

Mas é só uma opinião.


Ontem teve também a despedida da Gabriela, amiga que deixa o território nacional para cursar publicidade na Espanha, por seis meses. Que tenha juízo e volte logo. =).

2 comentários:

Mel disse...

Boa observação! E eu fui uma das que acompanhou a massa batendo palma de pé msm sem ter gostado(confesso). São essas pequenas coisas que fazem com que muitas vezes nos comportemos feito zumbis que agem sem pensar. Mas sempre é tempo de acordar! Valeu pelo alerta.

Clarissa disse...

Júlio, Júlio, pois eh, tem muito besteirol e coisa sem sentido por aí, mas digo-lhe uma coisa, perdeu um momento muito legal esta 2ª feira!!
O lançamento do Cd Cabelos de Sansão, de Tiago Araripe, com direito a show c/ Zeca Baleiro e tudo. Foi bem rico, contextualizado e certamente teria gostado... uma pena que não foi.
Bj