Follow by Email

terça-feira, março 17

Crisis? What crisis?


(Capa e título proféticos de um disco do Supertramp de 30 anos atrás)

Para todo lado que se vira é só o que se ouve, o que se comenta, o que se fala. Invadindo a vida de todas as pessoas através dos meios de comunicação de massa, da falta de crédito, do aumento do dólar, queda das bolsas, desemprego, depressão financeira e emocional. Turbulência no mundo todo, pegando a todos de surpresa, afinal de contas, a espiral de expansão do crescimento econômico vinha tão bem...

Parece que é assim. Só parece. Botam a culpa no sistema financeiro de algumas instituições dos Estados Unidos, que teriam sido irresponsáveis em emprestar dinheiro a quem não tinha condição de saldar suas dívidas. Essas pessoas botaram a mão no dinheiro, como botaram no mundo todo, e torraram no consumo, alimentando a fogueira da expansão econômica. Para o olhar mais atento, e não precisa entender tanto de economia para ver, é fácil perceber que se essa dinheirama, que agora falta em todo canto, não fosse colocada em em poder de pessoas extremamente perdulárias não haveria todo esse consumo e a economia, esse ser abstrato, não teria crescido.


Está acontecendo agora o resultado do que se viu ao longos dos anos, desde a depressão de 1929, quando fortunas desapareceram do dia para a noite e os suicídios se multiplicaram em todas as esquinas da nação mais poderosa do mundo. Toda a riqueza do mundo está concentrada em mãos de bem poucos. E se esses poucos não emprestassem para a multidão ávida por consumo, porque impulsionada por uma poderosa máquina que diz o tempo todo “consumir é ser feliz”, o capitalismo já teria fracassado e deixado de existir porque falho.

O Capitalismo é, a grosso modo, movido por angústia. Quem não compra, não tem a roupa de grife, não anda de carro próprio, não usa jóias anunciadas pelo comercial, não se endivida no cartão de crédito, não tem um desktop, um leptop, o ipod, o iphone, o blackberry o diabo a quatro, se sente inferior, a pior das criaturas, infeliz por suas condições econômicas desfavoráveis.
A angústia nunca acaba. Só muda o patamar. Se a renda é um pouco melhor, então o barato é conhecer vinhos e sorvê-los aos borbotões. Compra-se garrafas a 150, 200 reais, depois produtos importados caros, casas de praia, de serra, iates, ilhas, jatinhos. Vontade de parecer ser cada vez mais rico e feliz com os seus bens. O Capitalismo agradece e vende.

Vai-se longe o tempo em que valores morais e artísticos era moeda de troca no mercado amoroso. Quem sabia desfiar versos, compor músicas, possuía um grande coração, sempre fiel aos seus princípios era um modelo a ser seguido. Hoje, jogador de futebol rico, com carro importado e nada na cabeça é quem rulez. É esse o mundo que nós queremos. Cada um que cuide de si.

A respeito do que comentei no post anterior.

DA DESTRUIÇÃO DAS FLORESTAS DO PLANETA, 42% FORAM NO BRASIL!
(E nós preocupados com os saquinhos plásticos de supermercados.)

75% da destruição das florestas na América do Sul ocorreram no Brasil segundo a FAO.

1. O Informe da FAO, divulgado por El País, diz que o mundo perdeu 7,3 milhões de HA de selva entre 2000 e 2006, sendo que destes, o Brasil contribuiu com 42%. A FAO acha que o Brasil terá, nos próximos anos, graves dificuldades para estancar a sangria de suas florestas em função dos interesses agrícolas e do etanol (atenção, Lula).

2. O Brasil perdeu 3,1 milhões de HA, ou 0,6% de todas as florestas. A destruição aumentou em relação a 1995-2000, quando foi de 0,5%, desmentindo os dados de melhora no Brasil. Em relação à América do Sul a perda de florestas no Brasil representou 75% do total. O Brasil ainda possui 57% de suas terras com florestas. A Amazônia tem 25% da água doce do planeta.

3 comentários:

Laritz disse...

Gostei muito do que vc escreveu. E concordo plenamente que "o capitalismo é movido por angústia".

Apreciei seus textos. Também sou escritora e adoro ler coisas boas!

Laritz disse...

E quanto ao meu post, o vibrador foi presente da empresária Lucilia Diniz à Hebe Camargo... E foi roubado durante a festa, por incrível que pareça!

Fernanda Sousa disse...

eu fico puta com isso, como eh q pode, nós professores alimentamos mentes e ganhamos uma miséria! e um idiota que passa 90 minutos corendo por uma bola eh podre de rico.

e a culpa ainda eh minha quando o aborrecente não quer estudar, é mole?