Follow by Email

sábado, maio 9

Não sou o Jack Sparrow mas...

Tenho um amigo que só ouve música de CDs originais e se recusa a fazer downloads na Internet de filmes ou de mp3. Recusa-se peremptoriamente a portar em seu leptops arquivos que não tenham pagado direitos autorais. Como se a grana arrecadada por venda de obras digitais fosse parar nas mãos dos criadores.Velhinhas de Taubaté ainda existem.

Ledo engano. Oficialmente, 10% do total do preço de capa são entregues aos autores. Só que existe a pirataria das próprias gravadoras que dominam o mercado mundial. O Lobão, que há anos trava uma luta desigual com esses empresários, pediu tão somente que os CDs fossem numerados para que os artistas tivessem um mínimo controle sobre os seus direitos. As gravadoras, ou melhor os capitalistas que controlam o mercado, fizeram de conta que a conversa não era com eles. Como o Lobão, tem outro grande número de autores mais esclarecidos que estão se lixando para os downloads. Essas gravadoras produzem 200 mil cópias e dizem que só venderam 50 mil. É o que se pensa.

Para se ter uma idéia do que falo, a única entidade empenhada em fechar os sites com links para downloads é a Associação Brasileira de Produtores de Disco. De brasileira não tem nada.É encabeçada pela Sony e tem ainda a MK Music, Music Brokers, The Walt Disney, Universal Music e Warner Bros. Coisa mais gringa, não? Esses piratas que há décadas sugam de forma impiedosa a produção artística nacional já deviam ter pegado o beco há muito tempo. Mas como uma medusa, querem continuar enganando a todos com essa falsa fachada de defensores de empregos, e, é óbvio, a remeter os lucros para suas matrizes localizadas em terras ianques. No dia que não tiver mais uma única gravadora dessas por aqui, vai acabar a pentelhação contra nós e todos poderemos acessar obras culturais com toda paz de espírito que precisamos. Essas empresas também são responsáveis pela criação de toda a legislação brasileira sobre direitos autorais, através de lobby junto ao Congresso Nacional. Disso ninguém, fala.

Vale destacar que essa meia dúzia de atravessadores da cultura brasileira são os responsáveis pelos pagamentos de jabás e rádios e TVs que impõem a todos o tipo e a qualidade de música nacional. Praticamente nenhum emissora ou estação coloca nenhuma música para transmissão se não for mediante o pagamento de uma gravadora. Acha que não? Grave alguma coisa independente e distribua com os DJs Brasil e a fora e veja se consegue se transformar em sucesso a sua obra. Conheço muita gente boa que nunca vai galgar o estrelato porque não conhece esse caminho das pedras.

Compro CDs sim. Mas reservo-me ao direito de só adquirir alguma coisa pagando quando é na saída ou entrada de algum show, e sei que o selo é independente. Essa é a minha contribuição para o fim da pirataria.

2 comentários:

Fernanda Sousa disse...

faz o maior tempo que os artistas soh ganham dinheiro de verdade com show. viva o 4shared pra sempre!
kkkkkk

Mosana disse...

bom eu nao compro cd pirata.. ao menos quase nunca.. mas dvd compro sim.. e baixar na internet então.. DE MAIS.
acho os preços abusivos.
posso não estar certa, mas com certeza os preços tb não estão.
kisses