Follow by Email

sábado, outubro 11

Polícia para quem precisa de polícia



A Polícia Federal resolve agir e prende dez dos principais comandantes do jogo do bicho em Fortaleza. Não pela contravenção que praticam décadas a fio, mas por sonegação de impostos. Como se a ilegalidade devesse respeitar o fisco. Precisou a intervenção da PF porque as forças policiais estaduais jamais incomodariam os bicheiros locais.

Claro que não. Há um acordo de cavalheiros entre as partes. A proximidade é tão evidente que o superintendente da polícia civil é o dono da empresa de segurança que presta serviços aos contraventores.

E a coisa não pára aí. É muito sabido que não há campanha política nessa cidade sem a contribuição dos bicheiros.

Candidatos de A a Z sempre visitam certo endereço no centro da cidade em busca de um troco, ou mais que isso, independente das ideologias. Mas aqui pelo menos não se sabe ou nunca se ouviu falar de que o jogo do bicho estaria ligado ao narcotráfico, ou contrabando de armas, ou financiando quadrilhas de assaltantes. Por enquanto nada nesse sentido nos foi revelado, sussurrado ou suspeitado.


Apesar disso, é também estranho a falta de apetite das polícias civil e militar local em apreender drogas. Dizem as más línguas que há sim muitas apreensões, só que toda a maconha, cocaína, crack e outras cositas más tomadas em ações são novamente distribuídas entre os traficas amigos. Para as encenações sobram alguns pobres aviões com alguns mínimos papelotes ou dólares.

O poder real passa longe das instituições democráticas e a lei é usada somente para alguns casos onde não há influência de poder econômico, político ou social. Somente a mesma PF que exibe a captura de quilos e mais quilos de drogas, a cada semana... parece estranho para quem não conhece os meandros do submundo policial local.

É desconfortável também saber que todos nós estamos entregues a um judiciário que existe só para satisfazer as suas próprias vontades, deixando eu, você, a sociedade totalmente desamparada quando busca os seus direitos. A não ser que você seja também uma pessoa de posses ou poder. Cenário triste este do Rio de Janeiro. O policial Marcos Pereira do Carmo assassina o estudante desarmado Daniel Duque, de 18 anos, e o promotor, que deveria instruir a acusação, pede a absolvição do réu.

Marcos estava, na porta da boate, em Ipanema, fazendo a segurança de Pedro Velasco do filho da promotora de justiça Márcia Velasco. Será que essa proximidade entre o policial e o Ministério Público teria influenciado o trabalho do promotor? Ou melhor, alguém duvida disso? O maquiavélico é que o julgamento aconteceu em tempo recorde e ainda dizem que isso foi graças à modernização do judiciário. O PM foi denunciado em final de julho e início de outubro já é absolvido. Quanta celeridade em livrar a cara do assassino! Aos pais Daniel só resta o consolo em se unir a tantos outros que clamam por alguma reparação por tanta injustiça praticada mundo a fora. Do jeito que as coisas caminham, não vejo como ser evitado o retorno à barbárie, com cada um querendo fazer justiça com as próprias mãos.

Este meu pensamento é reforçado quando presencio um candidato a presidência dos Estados Unidos prometer aos seus eleitores que irá matar Bin Laden. Não é capturar e entregar para algum tribunal internacional que faltamente o condenará a uma pena capital. A promessa é a eliminação sumária do líder da Al Qaeda, que seria o responsável pelos ataques contra a nação imperialista.

Quem tem o poder das armas pode tudo, sem problemas. A nação que detém esse poder não está preocupada em ser ética, humanista, honrada ou qualquer outro adjetivo que exprima alguma nobreza de caráter. Só se quer manter o resto do mundo sob o seu jugo, mercados abertos e livres para acumular cada vez mais riquezas, dirigentes políticos ao seu serviço, a eliminação de qualquer tipo de oposição. A única coisa que poderia parecer estranho é que ouvi a proposta
de matar Laden vinda da boca de um candidato negro, minoria étnica tradicionalmente subjugada em todos os quatro cantos do planeta. A perspectiva de poder esquece as raízes étnicas e eleva a maldade humana a fatores exponenciais.

Hitlers não surgem do nada.

2 comentários:

Fátima Abreu disse...

Quero demais ver isso, menino! Tudo por conta da descrição feita por vc.

Paulo disse...

O BIN LADEN SE EXPÔS TANTO PARA DESTRUIR OS ESTADOS UNIDOS,SEM IMAGINAR QUE O BUSH FARIA A MESMA COISA,EM MUITO MENOS TEMPO.