Follow by Email

quinta-feira, janeiro 31

Crossing Saint Francisco


Cruzando o São Francisco, nas proximidades da cidade de Ibó, Pernambuco. Esse mundão d’água que um determinado bispeto católico se arvorou de ser o dono e tenta impedir por todos os meios que a transposição aconteça, assegurando o abastecimento de cidades, inclusive Fortaleza.

Quando viajamos a Minas, chegou às minhas mãos uma publicação dos antagonistas do projeto. Nenhum argumento usado dizia que a água iria faltar aos atuais beneficiários da bacia do velho Chico. A única crítica era ao volume de recursos empregados para a construção da obra. Choram eles por esse dinheiro previsto, que sabe Deus se um dia irá mesmo ser empregado na transposição. Preferiam baianos e mineiros que essa verba fosse empregada em benefício deles, como sempre tem sido desde que Cabral cruzou o Atlântico sul.

Na foto, a família que me deu carona nessa viagem

"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""

Dialogando com a minha amiga Ana.

Acho o BBB apelativo, acho o nome em inglês triste(em todos os países que fazem o programa, é dado o nome na língua pátria) e acho que a intenção real do programa passa muito distante dessa sua óptica otimista de encarar paredões, eliminações e estratégias. Se a intenção original era de transmitir um reality show baseado na vida real, essa idéia já foi desvirtuada há muito tempo após descobrirem o quanto a beleza, as bundas e os escândalos podem ser lucrativos. Mais um projeto "interessante" que foi por água abaixo...
Beijão!

“””””””””””””””””””””””””””””””””””

Pois é, em todos os países Big Brother foi traduzido para a língua pátria. Mas aqui tinha de ser diferente, of course!. Afinal, vivemos no país dos shopping centers, almoçamos em self services, ou pedimos um delivery; nos intervalos dos workshops experimentamos um coffe break, e durante o carnaval, nos deleitamos com blues e jazz.

Quanto à beleza e as bundas citadas no comentário, nada mais parecido com o que nos cerca. Basta olhar em volta para perceber a mediocridade prevalecendo ao talento, por conta da estética dos silicones e outros artifícios mais. O toma lá dá cá é a moeda corrente e quem não fizer seus pactos, suas alianças, se fechar em grupinhos fica vem a banda passar, sendo platéia e nunca protagonista. O projeto tem seus objetivos, que é fazer dinheiro aos seus criadores. Toda uma estrutura gira a partir de determinadas engrenagens, como o mundo real. Basta aprender a ler seus códigos.

Nenhum comentário: