Follow by Email

terça-feira, julho 3

Quem fica com os amigos?


Faz alguns dias que vem procurando falar sobre este assunto. Tem certas coisas que são recorrentes na vida de todo mundo. Sem dúvida, não é novidade para ninguém o fim do namoro ou casamento de algum casal de amigos. Quando isso acontece, gera-se um clima entre todos. Primeiro, ter de assistir pessoas não muito chegadas perguntarem pela presença do ex. Constrangedor ter de assistir o amigo/a explicar pela enésima vez que aquele relacionamento extinguiu-se por desinteresse de uma ou de ambas as partes. Relação desgastada pelo tempo, dizem.

Segundo, é a ginástica que se deve fazer para que nenhum dos dois fique ou se sinta alijado do grupo. Afinal de contas, quando se tem amizade com o casal, e não apenas com uma das partes, e o grupo de amigos é comum aos dois, a gente fica procurando um meio de gerar momentos de convivência com a dupla, só que um de cada vez, mas não ser motivo de mal-estar. Afinal de contas, pelo menos logo em seguida ao fim da relação, é de se esperar que não queiram ver um a cara do outro, para não suscitar velhos sentimentos que estão querendo esquecer, ou pelo menos tirar um pouco da lembrança.

Pois é. O que parece ser problema de apenas um casal envolve a vida de tanta gente. Já não basta ser doído para todos, de acordo com a proximidade, mas tem também de participar dos desdobramentos. E a coisa se agrava ainda mais quando um inicia um novo relacionamento, pois se a visão do outro já não era das mais felizes, passa a ser mais sentida quando já existem braços de terceiros envolvendo o/a ex-.

Parece mesmo que não há uma saída mágica desta situação de modo que todos fiquem incólumes a todos os desgastes passíveis de acontecer. São peças da vida de cada um que gravitam em eixos distintos. Coração é terra que ninguém pisa e não adiante dizer que não se sofra com o que passou. Mas abrir um pouco os olhos e focar no futuro, é sempre bom.

Um comentário:

Fátima Abreu disse...

Olha, amigo, o melhor é começar tudo de novo. Mudar a ambientação, os lugares frequentados, não digo largar os amigos de fato, mas repaginar tudo! Afinal, a vida é um eterno recomeçar.