Follow by Email

sábado, maio 14

Besouro Verde


Assisti, já faz uns dias, a esse filme e fiquei até com vergonha de comentar alguma coisa, de tão ruim que é . Impressiona como se gasta tanto dinheiro, mais de US$ 80 milhões, para se rodar algo tão ruim. A única coisa boa foi que lembrei de um grupo aqui de Fortaleza que coleciona antigas séries de TV, Besouro Verde entre eles. Essa turma, com certeza deve ter assistido e ter ficado com vontade de trucidar diretor, roteiristas e produtores dessa perda de tempo.

The Green Hornet (título original) conta a história de Britt Reid, um rebelde sem causa, que herdou o jornal Sentinela Diário e uma fortuna de seu pai. Ele é cheio de conflitos existenciais e responsabiliza a criação que teve. Resumindo, um perfeito idiota, que se resume a vida a pegar mulheres rapidamente e descartá-las na mesma velocidade.

A questão dramática do filme é tão somente resolver a crise entre o protagonista e o seu falecido pai, que chega a ter a cabeça de sua estátua decepada em vingança de seu filho. Nunca vi coisa mais imbecil. E o mais grave é que ao final do filme, quando Britt faz as pazes com o seu passado e o seu genitor, a superação resume-se a soldar a cabeça da estátua de volta. Ele continua tão idiota quanto no começo da história.

Para não dizer que o filme todo é perda de tempo (e é), temos algumas cenas de luta filmadas a le desenho animado Cavalheiros do Zodíaco, protagonizadas por Kato, o sino-auxiliar do Besouro Verde, que são plasticamente bonitas. Para quem não viu desenho trata-se da junção de slow motion com velocidade normal, no mesmo enquadramento, dando a noção de mega velocidade dos golpes de luta marcial. E só.

Não vou mais me estender, porque, sinceramente, não vale a pena falar muita coisa. Só me fez reforçar a ideia que não há história que preste onde protagonista não é capaz de despertar nenhuma empatia, para o bem ou para o mal. Não tem Cameron Diaz e Cristoph Waltz (ganhador do Oscar de melhor ator coadjuvante de 2010) que salve.

Um comentário:

Raquel Cavalcante disse...

É queimação de filme até para os atores que participam, em! Não gosto desse tipo de filme, por isso não vou nem perder meu tempo assistindo.
Beijos