Follow by Email

sábado, fevereiro 20

Obscuridades à parte


Big Time foverer

Ouvi certa vez do Ariano Suassuna que o brasileiro passa o dia ouvindo porcaria pelas emissoras de rádio e televisão, por isso acostuma as oiças a gostar de porcaria e não de música de qualidade. No final de semana, em Guaramiranga, onde o festival de jazz e blues se realiza todos os anos, durante o período do carnaval, ouvi de um músico mineiro que aquele evento é um ponto de luz no meio da obscuridade do carnaval. Não penso exatamente assim, porque sei do vigor de uma bateria de escola de samba, e do sabor que alguns frevos proporcionam. Mas, de um modo geral, impera a mediocridade referida pelo nativo das geraes.

Acho até que o gosto musical do povo mereça um estudo sociológico. Os meios de comunicação reproduzem a exaustão determinadas fulerages que impregnam (e não impreguinam como alguns falam) a todos. E isso até impede que os incautos gostem de um gênero mais elaborado. Na última quinta-feira, houve uma apresentação da Big Time Orchestra, em Fortaleza, em um espaço bem reduzido, o Bueno Amicis. O local lotou com cerca de 200 pessoas, se muito. O ingresso era só R$ 10,00, para um show de primeira qualidade.

Para quem não sabe, a Big Time é uma banda de Curitiba, que enche as casas de espetáculos no Sudeste-Sul do país, com apresentações do que está sendo chamado de neo-swing, uma revisitação bem humorada ás big bands que embalaram os anos 30/40/50 . Para quem quiser arriscar conhecer um pouco mais, aqui vai o link para o site do grupo. http://www.bigtime.com.br/.

Quem não viu perdeu um ótimo show, que certamente vai demorar para acontecer em Fortaleza novamente, salvo se alguma alma caridosa quiser novamente traze-los para cá, de novo. Sem dúvidas, o grupo merecia um espaço mais condizente para a sua apresentação. Em Guaramiranga, sequer participaram da agenda oficial, limitando-se a um micro show na jam Session. Mereciam bem mais, porque brilham uma nota acima. Minhas reverências a esse grupo.

Um comentário:

Fernanda Sousa disse...

uma vez vi o ariano dizer tbm: "cachorro não gosta de osso, cachorro gosta de comida. dê um filé a ele e um osso pra ver o que ele vai escolher"

o povo soh eh apresentado ao osso, aí fica dificil, né?

carnaval foi bom entçao, né?
=]
beijo