Follow by Email

terça-feira, janeiro 12

Vitoria Warazu

Há tanto tempo sem escrever, sinto-me em profundo débito com os meus bissextos leitores, e comigo mesmo, que me propus a registrar por aqui as coisas que me cercam, pensamentos que me rodeiam, ideias que chegaram até mim. Mas esses meus últimos dias tem sido bem diferentes, e por uma coincidencia dessas geradas pelo universo, foram todos absolutamente marcantes.

Primeiramente tive a oportunidade de ter contato com quatro xavantes, vindo do Mato Grosso. Todo e qualquer preconceito que pudesse ter em torno dessa ou de qualquer outra etnia nativa se dissipou. Aprendi muito com eles, coisas que nem tenho tanta vontade de expor porque é preciso vivenciar para compreender. Acreditem, são pessoas maravilhosas que têm um grande senso de identidade e de respeito. Acho que todos nós temos muito a aprender e reaprender com esses índios.

Eu me envolvi com a assessoria de imprensa da oficina de audiovisual que os xavantes vieram ministrar aos Tapebas, em Caucaia. Quem quiser saber um pouco mais, pode procurar no Overmundo (www.overmundo.com.br). O assunto foi manchete do site por alguns dias.

Também quero registrar o achado que foi toda a equipe de trabalho. Pessoas maravilhosas, especiais, que espero o começo de uma amizade longa. Valetino, Valdo, Pedro, Kalu, Lídia, Ravena, Lídia, Camila. Quero ser amigo de vocês para sempre. A Simone, velha amiga de longas datas, minha orientadora de especialização, também foi muito bom voltar a ter você de volta no cotidiano. Apaixonantes pessoas as suas filhas Úrsula e Marina. É isso, a vida segue, e o 2010 parece avançar com imaginação, oportunidade e esperança.

4 comentários:

Fernanda Sousa disse...

eu li em algum lugar que um terço da população brasileira tem sangue indigena. respeito é realmente a base de tudo.

Nina disse...

um dia pretendo ter uma experiência com indígenas... temos muito o que aprender com a simplicidade deles.
bjs!

Shayla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nina disse...

Oi!
Respondendo seu comentário no meu blog...
Na verdade, o que quis dizer com passar a mensagem correta é ser quem você realmente é. Porque muitas vezes somos o que querem que sejamos, mas não o que desejamos ser.
beijos!