Follow by Email

sexta-feira, setembro 11

Anticristo-Lars


O Anticristo de Lars Von Trier é estranho. Aliás, o diretor é estranho. O filme foi chamado de A Bruxa de Trier, mas para mim está mais para Downloanding Terror. Deveria ser terror, mas não o é. Em nenhum momento a porta para o além é tocada, nem há nenhuma demonstração de que passos serão dados nessa direção. O mal não é abstrato ou uma entidade ectoplasmática. Ele surge de dentro dos protagonistas.

A história envereda pelo caminho do sadomasoquismo explícito. O sexo é explícito e a violência também. Um bebê que recém iniciou a caminhar se lança no espaço de uma janela aberta, enquanto seus pais transam. O trauma na mãe é tão violento que ela precisa de um mês internada em hospital psiquiátrico para se recuperar, minimamente. Mas ela não está tão curada assim, como vemos no segundo ato.

A idéia é causar desconforto na platéia. O marido psicólogo, que procura usar seus conhecimentos profissionais na busca da recuperação da esposa transita entre vítima e algoz. Ninguém sofre por nada. Todos levam dentro de si alguma culpa.

O Anticristo não é filme imperdível, nem daqueles que vão ser facilmente lembrados dentro de alguns anos. Não recomendo para quem acha Lars excessivamente pedante, hermético ou de linguagem arrastada e cansativa. Melhor buscar outra diversão. Mas se você quiser ver um retrato de algumas paranóias que estão se tornando populares nos meios de comunicação, é só clicar e baixar o filme e a legenda.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ola,

Notei no blog de vocês que estão falando do filme Anticristo da California Filmes.

Gostaria se possivel de algum contato para que possamos trabalhar sempre juntos.

Podemos fazer variadas parcerias promocionais. O que acham?

Atenciosamente

rodrigo@californiafilmes.com.br

Fernanda Sousa disse...

mas eu não acho que só é filme de terror quando o mal é uma entidade do além...o filme parece interessante.
bjo

Fernanda Sousa disse...

si, no vas a volver a escribir en esto carajo jamás?

=***