Follow by Email

quarta-feira, junho 25

Versos e reverso


Tão difícil sonhar que é escritor e conseguir os meios para levar as suas idéias à publicação. Mas graças a Deus há aqueles que acreditam em seus próprios talentos e perseveram para deleite dos que vão receber em suas mãos tão belas obras.

A minha amiga Paola conseguiu. Venceu concurso literário e com o prêmio levou ao prelo palavras que romperam sentimentos e emoções até chegar ao papel. É sua primeira obra, e espero que seja de uma série. Seu coração irrequieto tem muito a contar, filtrando com a sensibilidade dos seus sentidos. Prazer revê-la e ter a sua companhia, agora, por esses dias, dormitando em minha cabeceira.


“Descontente,

Desterritorializada

como que dentro de um shopping center.

Muleta de palavra

só tem serventia para cair

no mais profundo do magma que queima.

Ou na relva que afaga.

Se esperar bastasse...

Estou aqui desde que você fechou a janela.

Já contei quinze trens em sentido único.

O homem estranho com cara de indiano me oferece um casaco.

Ele vê que sinto frio.

Se fosse apenas isso.

Gentil,

declino da oferta.

Prefiro sentir.”

Paola Fonseca

2 comentários:

Mosana disse...

Bacana!!
Parabéns para ela! Realmente são poucos os que conseguem tal feito!

Beijos

Bruno de Castro (BC) disse...

o melhor não é conseguir levar ao prelo, mas sim mexer lá dentro das pessoas que lêem cada linha.
Comigo, ela conseguiu!
Adoro poesias!
XD