Follow by Email

segunda-feira, novembro 15

Desonestidade intelectual

Vou ser breve porque acho que o assunto não merece um esforço maior, mas também não deve passar despercebido.Poucas coisas me causam a indignação de uma desonestidade intelectual. Alguém culturalmente privilegiado, que possui a capacidade mental de discorrer sobre determinado recorte da realidade de forma convincente, até mesmo eloquente, se utilizar dessas ferramentas para fins mesquinhos, malévolos. Isso mexe com os meus nervos, certamente. Principalmente, quando se trava neste país uma luta desigual e as vezes desumana por dias melhores para a grande maioria da população. Ninguém merecia ler determinadas coisas publicadas pela Folha de São Paulo.

Nesta sexta-feira li uma ignomínia assinada por uma certa professora de direito, Janaina Conceição Paschoal da Universidade de São Paulo - USP, fazendo a defesa da estudante Mayara, autora de textos de microblog vociferando contra os eleitores da presidente Dilma e conclamando todos a matar um brasileiro morador de fora do eixo Sudeste-Sul do país. Segundo essa articulista da FSP, teria sido Lula quem iniciou toda essa divisão nacional, e que antes do petista, o Brasil era uma nação unida, como todos os brasileiros vivendo como irmãos. Em outras palavras, a xenofobia, o racismo, o separatismo foram obra do ex-metalúrgico. Com Serra tudo seria diferente.

Texto literal publicado na sessão de opinião da Folha da professora uspiana: "É o nosso presidente quem faz questão de separar o Brasil em Norte e Sul. É ele quem faz questão de cindir o povo brasileiro em pobres e ricos. Infelizmente, é o líder máximo da nação que continua utilizando o factoide elite, devendo-se destacar que faz parte da estigmatizada elite apenas quem está contra o governo."

Dito isso,a professora ainda chama o país a uma reflexão. Será que ela não sabe que os estados mais pobres do país não estão nesta condição porque os recursos do país foram historicamente usados para promover o desenvolvimento dos mais ricos? Que apesar de um terço da população nacional viver nesses estados mais pobres só têm direito a 10% do bolo nacional dos investimentos federais? Que sempre que aconteceram levantes por conta de tantas injustiças foi o poder central, localizado no Sudeste do Brasil que esmagou com punho de ferro os ideias libertários? Que foi o ministro do Planejamento José Serra que exterminou a Sudene, a Suframa e quis extinguir a Zona Franca de Manaus?

São acontecimentos emblemáticos de conhecimento de qualquer aluno de nível médio. Não quero crer que uma professora universitária de uma das mais bem conceituadas faculdade de direito do país seja tão desinformada, mesmo sendo paulista. E o mais grave é querer enganar o restante dos paulistas através de seu artigo. É para isso que serve a liberdade de imprensa?

Não quero me alongar demonstrando que os estados pobres sempre foram tratados como um problema de si próprios enquanto que os problemas do restante do Brasil é sempre visto como um problema nacional. Se os exportadores paulistanos estão com dificuldades, o problema é nacional, se o narcotráfico no Rio de Janeiro está gerando um poder paralelo, é problema do país, se o setor de calçados do Sul do país enfrenta concorrência do mercado internacional, preocupe-se Brasília. E se o coronelismo ainda impera nos sertões, ah! isso é problema cultural! Nada tem a ver com a gente! Eles que se resolvam!

3 comentários:

Raquel Cavalcante disse...

E a surpresa de ler relatos de pessoas em pleno século XXI questionando o seu direito de voto pelo fato do candidato deles não ser eleito? De ter um bem educado paulista dizendo que "Nordeste é o lugar onde nós, pessoas brancas, vamos para comer umas vagabundinhas baianas" e que errado são as "vagabundinhas baianas", onde baiana é qualquer pessoa do sexo feminino que nasceu no Nordeste, e não ele que se julga superior reproduzindo esse ciclo nojento? Eu não sei como ainda consigo me chocar! Pelo menos, nesse mundo onde todos tem voz pra falar a asneira que quiser, a revista Época se posicionou contra esse absurdo todo. Não é somente desonestidade não, é um insulto!

Anônimo disse...

Ver artigo publicado no site www.rafiado.com.br no dia 16 de novembro desse ano que fala sobre as principais características da nossa região nordestina.

Natanael disse...

Realmente. Não poderia haver um título melhor, porque é uma desonestidade mesmo, antes fosse falta de informação ou conhecimento das coisas. Mas é "pura" sacanagem mesmo hehehe!