Follow by Email

domingo, março 28

Um dia como qualquer outro

Quanto mais coisa penso em escrever, menos vontade eu sinto. Acho que ecos de pensamentos não são os verdadeiros pensamentos. E as pessoas, por incrível que pareça, preferem ficar discutindo as vírgulas do que procurar o sentido do todo. Do entorno. Do de dentro e do de fora. E é um tal de se falar em autosabotagens constantes e contínuas. Não quero pensar nisso. Sigo pensando nos signos. Das tangências que permeiam o caminho e nos levam em direções distintas. Distinguir o real do imaginário. Das vidas que queria ter vivido, das vivências que não tive por conta de minhas escolhas que nem sempre foram as melhores. Acordo todo dia entrelaçado por circunstâncias das quais não posso fugir. Nem quero.

2 comentários:

anne disse...

Adoro suas palavras e seus devaneios. Adoro voce

Fernanda Sousa disse...

por acreditar serem completas, faço minhas, as palavras de Anne.

beijo